loading please wait..

Dicas: Como dar um bom Feedback?

Existem coisas que fazemos raramente, “de vez em quando”, com frequência e aquelas quase que diariamente, eu encaixaria o feedback na última delas, ele é algo que está realmente presente no nosso cotidiano, até mesmo quando comemos algo e dizemos “Isso é muito bom!”, ou assistimos um filme que não gostamos e dizemos:  “Lá se foi o meu dinheiro…”. Estamos sempre nos utilizando do feedback, então por quê não aprendermos cada vez mais sobre ele?

Ele é um dos pontos altos nos processos eleitorais. Seja de feedback da equipe com quem o candidato trabalha/trabalhou ou, se você é candidato, como você está na empresa. Sendo assim, vamos dar algumas dicas de como realizar um bom feedback e conseguir se sair bem na hora de apresentar sua opinião:

1. Busque se embasar bastante: muitas vezes temos que dar feedbacks, mas ocorre de não termos tanta certeza ou sabermos por completo sobre aquilo que falaremos. Isso é algo que devemos evitar. Ninguém quer passar pela situação de o receptor do feedback fazer uma pergunta acerca do seu desempenho e não saber responder. (Principalmente se tratando de “feedback de desligamento”!). Busque ter o máximo de informações para, não só tirar todas as dúvidas da pessoa, como também orientá-la melhor sobre como ela pode se desenvolver.

2. Evite feedbacks via email ou algo do gênero: Quer fazer por hangout? No problem. Agora um e-mail apenas com um texto corrido sobre o desempenho da pessoa é um risco. Ele pode ser facilmente alterado, além de não se saber até onde pode chegar. O ideal é uma conversa “cara-a-cara” (ou “webcam-a-webcam”), permitindo ser direta com a pessoa. Porque, além de evitar futuros problemas ou más interpretações, abri-se margem para a pessoa tirar dúvidas, melhorando a qualidade do feedback!

3. Use do feedback “sanduíche”: Apesar de já ser algo bem batido, não custa lembrar. Quando for dar um feedback busque apresentar primeiro um positivo e, só depois, um negativo. Assim você deixará a pessoa mais aberta a receber o comentário negativo que virá após o positivo, o que melhora o rendimento de seu feedback.

4. Busque entender o lado da pessoa que recebe o feedback: geralmente nos preocupamos mais em explicitar o nosso ponto de vista do que escutar o que a pessoa pensa sobre isso, o que pode gerar um problema. O receptor pode ficar inflexível acerca do feedback, dificultando o processo. Quanto mais pressão houver, mais ele reagirá em contrariedade. Procure entender o lado dele, entenda os problemas pelos quais ele está passando e você poderá aconselhá-lo a como melhorar. Isso pode ser bastante útil em conversas difíceis, entretanto deixemos algo claro: evite o “jogo da culpa”.

5. Erro é aprendizado, não motivo para punição: comumente associamos erros à punição, contudo devemos evitar esse pensamento, principalmente quando se trata de um feedback. Temos que nos utilizar do erro como uma experiência para que, dessa forma, a pessoa evite cometê-lo novamente. Ele serve como um grande ponto de desenvolvimento, permitindo que ela seja mais receptiva ao feedback e desenvolva-se, uma vez que sabe onde não errar.

6. Seja participativo no desenvolvimento da pessoa: Devemos evitar apenas repassar a informação para a pessoa e deixar por isso. Devemos nos dispor a ajuda-la em seu processo de desenvolvimento, deixando-a aberta a buscá-lo e aumentado sua confiança em nós e no que dizemos a ela. Busque motivá-la a mudar e sabendo que pode contar com alguém para isso. Trabalhe a elaboração de um plano de ação com a pessoa. Assim ela sairá do feedback com algo concreto ( o “o que fazer a partir de agora?”). Com isso, em momentos de feedback, utilize-se do termo “nós”, em vez de “você”, e verá a diferença da proximidade com ela. Percebeu que preferi usar em muitos momentos o “nós”?

7. “Feedback de desligamento”, evite marcá-lo com muita antecedência: (Esse aqui é mais um bônus). Evite marcá-lo com antecedência e dizer que é uma entrevista de desligamento, afinal, apenas irá gerar ansiedade e desânimo desnecessários para a pessoa até a reunião. Muitas vezes ela é ciente de sua situação ou do clima que está a sua volta. Marcar uma reunião com muita antecedência irá fazê-la pensar em mil e uma coisas que podem ocorrer naquele momento, estimulando suposições errôneas que podem ser comentadas pela empresa, o que só irá piorar a situação. Procure marcá-lo próximo a data da reunião para que não corram boatos ou gere um clima ruim ou ansiedade na pessoa.

Não se esqueça: o feedback é um momento muito importante. Ele pode ser um ponto de partida para um grande crescimento pessoal, ou algo que pode frear o desenvolvimento de uma pessoa. Nunca esqueça da importância dele! Espero que possa ter auxiliado você a repensar como dar um feedback e que possa proporcionar uma melhor experiência positiva para quem o receber!

Texto de Renan Xavier (Coordenador de Gente e Gestão da FEJECE).

Posted on 31/08/2016 in Dicas

Share the Story

About the Author

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *